Missão: Levar o Galo de Barcelos ao espaço

O galo esteve no espaço, uma grande aventura videográfica

No dia 27 de Julho o Galo de Barcelos atinge os 33.252 metros de altura, toda a aventura foi registada em vídeo por duas cameras que acompanharam todo o sistema, resultou num vídeo viral com imagens impressionantes em que se vê o símbolo nacional em primeiro plano e o planeta terra em segundo plano, através de uma coincidência enorme caiu no quintal de um Galego que recolheu o aparelho ao mesmo tempo que foi captado pelas nossas cameras, imagens hilariantes que tornaram o vídeo ainda mais viral. O resultado pode ser visto no vídeo abaixo:

A ideia de realizar este projecto surgiu quando ao assistir a um dos conferencistas do TEDxViana doCastelo (Peter Espersen – chefe das comunidades online da LEGO), apresentou um vídeo em que dois jovens canadianos levaram o Lego Man ao espaço, mais tarde quando vi esse vídeo com mais atenção, lembrei-me, porque não? fazer o mesmo com o Galo de Barcelos? Estávamos em Fevereiro, 6 meses depois o Galo estava no espaço.

Depois de muito procurar como poderia fazer isto sozinho, cheguei à conclusão que era impossível faze-lo, não tinha conhecimentos, foi quando procurei ajuda, fiz contactos, pesquisei na internet. O projecto era desafiante, além de levar o Galo ao espaço as cameras, era necessário recolher todo o equipamento para recuperar as imagens.

Na internet encontrei duas equipas que tinham o knowhow para me ajudar: A equipa do Projecto Balua – http://www.balua.org/, ou a equipa do Space Bits – http://blog.spacebits.eu/ (liderada pelo Celso Martinho da Sapo). Contactei inicialmente o projecto Balua, apresentei a ideia e a resposta foi positiva, o Projecto Balua disponibilizou-se para dar todo o suporte técnico, os interlocutores e lideres do projecto são o Diogo e o Duarte, a quem tenho muito agradecer.

Agora era necessário arranjar o Galo de Barcelos, este galo teria de ter características únicas, teria de ser resistente, teria de ser pequeno, e deveria ter o formato tradicional. Acabei por descobrir a associação de Artesão de Barcelos de forma inesperada, quando a passar numa das ruas em Barcelos vejo uma pequena loja com artesanato à venda. Entro, conheço o Pimenta (Secretário da Associação), apresento a ideia e saí de lá com um parceiro estratégico. Estava garantido todo o apoio logístico local bem como uma conjugação de esforços por parte de todos os artesãos (associados).

Dia 27 de Julho, o dia de todas as emoções, equipa do Projecto Balua em Barcelos, amanhã inicia-se com os artesãos a juntarem-se no local de lançamento, a equipa monta todo o sistema, enche o balão de hélio, na caixa que leva todos os equipamentos de geo-localização são acopladas as cameras GoPro, uma delas cedida gentilmente pelo meu colega e amigo Pedro Teixeira.
Hora prevista de lançamento era às 10:00 da manhã, por diversos atrasos foi adiado para as 11:00, quando finalmente estava tudo pronto, era necessário a autorização pelas entidades que gerem o tráfego aéreo, que surgiu após 45 minutos, quando estavam reunidas todas as condições de segurança.

3…2…1 e lá arrancou o balão atmosférico, mais parecia um foguete em direcção ao espaço. Apesar de ter chovido nessa manhã, naquela hora o céu estava fantástico o que resultou em imagens impressionantes. Cerca de uma hora e meia depois o balão atingiu a altura máxima, devido à menor pressão atmosférica, o hélio expande-se o balão aumenta de diâmetro até rebentar. Rebentou aos 33.252 metros de altitude, e descia amparado por um pára-quedas, os aparelhos que equipavam o balão recolhiam dados em tempo real, altitude, temperatura, localização. Os dados da localização estavam a ser transmitidos para terra, em terra a equipa sabia exactamente a localização dele, por isso enquanto o balão subia, já era possível ir ao encontro dele.
Através de previsões e cálculos já se sabia que iria cair em Espanha, desta forma formos ao encalço do sistema. Os dados transmitidos em tempo real iam ao encontro dos previstos, foram fundamentais para de uma forma rápida “encontrar” a caixa. Encontrar entre aspas porque quando estávamos muito próximo da caixa, a caixa deixou de emitir sinais. Fomos dar a uma pequena aldeia na Galiza, no meio da azáfama na procura da caixa, nunca nos tinha passado pela cabeça que a caixa pode-se ter sido avistada e recolhida por alguém, mas foi o que aconteceu. Fomos abordados por um homem que nos abordou e perguntou o que fazíamos ali, respondemos que procurávamos uma caixa, espanto nosso quando nos disse que a tinha recolhido. Levou-nos a sua casa e realmente tinha-a encontrado, a probabilidade de isso acontecer era pequena, mas aconteceu e felizmente sem nenhum dano.

Surpreendente mesmo foi quando ao visualizar as imagens das GoPro descobrimos que as cameras registaram toda a aventura que foi para este homem recolher a caixa, em cerca de mais de meia hora de imagens é possível ver o homem a fazer descer a caixa de uma figueira, cortar os cabos com uma foice, recolher o galo que tinha descolado na queda e finalmente recolhe tudo para o interior de sua casa. O resultado foram imagens curiosas e únicas, pois o homem não sabia que estava a ser gravado.

Após três dias de análise de imagens e edição do vídeo, o vídeo é publicado no youtube e a viralidade iniciou-se organicamente. No dia seguinte gerou reportagem na SIC e TVI, no sábado foi capa no Jornal de Noticias. Nos dias seguintes foi notícia na TV Espanhola e mais surpreendente foi passar durante 40 segundos na TV GLOBO no Brasil.

O sucesso deste vídeo coincidiu com a Feira de Artesanato de Barcelos, também aqui foi um sucesso, através de uma TV de 47 polegadas colocado no stand da associação os visitantes poderão ver o vídeo que passava de forma continua, houve situações com mais de 30 pessoas a assistir ao mesmo tempo.

Muito tenho que agradecer a todas as equipas envolvidas, que de uma forma impressionante ajudaram a tornar este projecto um sucesso. Aproveito para agradecer à equipa do projecto Balua, à associação de artesão de Barcelos, ao Pedro Teixeira e a todos que directamente ou indirectamente estiveram envolvidos. Agradecimento ainda ao José que de uma forma inadvertida tornou-se também num herói, quase tirando o protagonismo ao Galo de Barcelos.
Obrigado, Marco Neiva